Jesualdo balança: Santos discute futuro do técnico após eliminação

Treinador perde prestígio com parte do Comitê de Gestão do Peixe, que não descarta demissão

A eliminação do Santos no Campeonato Paulista pode custar o cargo do técnico Jesualdo Ferreira e sua comissão.

Depois da derrota do Santos por 3 a 1 de virada para a Ponte Preta, na Vila Belmiro, pelas quartas de final do Paulistão o futuro de Jesualdo Ferreira passou a ser discutido internamente.

Insatisfeitos com a eliminação e o desempenho do Peixe no Campeonato Paulista, dirigentes conversam sobre a possibilidade de mudança de treinador, mas ainda não há uma decisão.

Nesta sexta-feira, um dia depois da queda no estadual, membros do Comitê de Gestão passaram a discutir o trabalho de Jesualdo Ferreira e sua comissão técnica.

Existe, inclusive, uma possibilidade de reunião entre diretoria e treinador para falar sobre desempenho e possíveis mudanças.

Jesualdo Ferreira, técnico do Santos, tem cargo ameaçado após eliminação — Foto: Ivan Storti/Santos FC
Jesualdo Ferreira, técnico do Santos, tem cargo ameaçado após eliminação — Foto: Ivan Storti/Santos FC

Entende-se, internamente, que o desempenho do Santos, principalmente na fase de grupos, foi aquém do esperado no Campeonato Paulista. Eliminado nas quartas de final, o Peixe terminou a primeira fase com apenas 44,4% de aproveitamento: quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas. Mesmo assim, ficou na liderança do Grupo A, com 16 pontos.

Por outro lado, quem defende a permanência de Jesualdo Ferreira acredita que o treinador ainda tem pouco tempo à frente do Santos para se adaptar e mostrar o que pode. Além disso, teve um jogador expulso em cada um dos últimos quatro jogos.

Um empecilho para uma possível demissão, porém, são os débitos do Santos com Jesualdo Ferreira, além da multa por rescisão contratual. O Peixe deve ao treinador direitos de imagem e parte dos salários cortados em 70% durante a pandemia do novo coronavírus.

Jesualdo Ferreira foi contratado pelo Santos no início do ano, para substituir o argentino Jorge Sampaoli. Desde então, já enfrentou outras turbulências.

No começo do Campeonato Paulista, o treinador também teve seu futuro discutido diante de más atuações. À época, porém, a diretoria decidiu esperar jogos seguintes, contra Palmeiras, Defensa y Justicia e Delfin, nos quais o time mostrou evolução.

Fonte: G1